14 de set de 2011

PRESOS REBELADOS EM ALCAÇUZ JÁ SOMAM MAIS DE 400

O princípio de rebelião na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, registrado no início da tarde desta quarta-feira (14), ainda não foi controlado. A polícia continua a trabalhar na tentativa de controlar os 450 apenados alojados em três pavilhões. Familiares em horário de visita foram tomados como reféns. O motim teve início no pavilhão de adaptação para onde os 150 presos do pavilhão 4 haviam sido enviados por tentarem cavar um túnel de fuga. Além do castigo, os apenados se revoltam também com o fim da entrega de roupas e comidas pelos seus familiares, determinada pelos agentes penitenciários em greve. De acordo com o Coordenador da Administração Penitenciária (Coape), José Olímpio , como a situação havia sido registrada inicialmente apenas neste grupo, as visitas aos demais pavilhões foram liberadas. No entanto, a revolta com as limitações impostas pelos agentes penitenciários levou os demais apenados a também se revoltarem. Neste instante, os agentes tentam retirar encerra as visitas nos pavilhões 1 e 3, onde familiares foram tomados como reféns. No pavilhão de adaptação, os próprios presos estão sendo feridos como forma de forçar a volta da entrega de comida em visitas.

0 comentários:

Postar um comentário